Manual de etiqueta para diferenciados

Devido à crescente onda de domesticas, porteiros, jardineiros e outros eiros visitando Nil iork, torna-se necessário a elaboração de um manual de boas maneiras (etiqueta) para que nossos diferenciados trogloditas se comportem bem na terra do Tio Sam. [Tio Sam? Acho que ele está mais para tataravó sam, decrépito, senil e se achando o dono da verdade!] .Hackers com um profundo complexo de viralatisse senso do dever cumprido e interessados em achincalhar a nação fazer o bem ao próximo colocaram no site duma importante instituição bancaria o referido manual.

Pessoalmente acho que isto foi apenas um lapso e o banco não pode ser responsabilizado por isto porque rapidamente os homens bons do banco retiraram a matéria do site!

Bem, chega de bla bla bla e vamos ao que interessa: O MANUAL

O Manual revela regras de condutas básicas para todos os brasileiros que visitam a terra do North como se portar nas mais diversas situações. Por exemplo:
Entre as regras tem uma que fala que a distância mínima entre pessoas conversando é de 33cm! [Não da para ficar mais pertinho?!] hua hua hua…

– Se você estiver num grupo de yankes não fale em outra língua. [Embora no Brasil eles não precisem seguir esta regra e falar português!]

– Ao ser convidado para um evento na casa de alguém, é de bom tom perguntar ao anfitrião se ele deseja que você leve alguma coisa. [vixe, parece até churrasco de gente diferenciada!]

Naturalmente o manual apenas revela a subserviência devidamente assimilada pelas classes dominantes desta colônia de Santa Cruz!…

NOTA: O manual não esclarece se quando eles assoviam devemos latir ou abanar o rabo. [eu prefiro rosnar e morder! Ou quem sabe fazer como os macacos enjaulados no zoológico!]


Como recepcionar um americano insolente no restaurante.

44 comments for “Manual de etiqueta para diferenciados

  1. Sir Robert
    26 de janeiro de 2013 at 8:25

    Estimados confrades:

    Como algum comunista infiltrado na Caixa Econõmica deve ter deletado a página em questão, utilizei-me de um dos meus contatos no MI-5 para recuperá-la, afinal estas normas dee etiqueta são essenciais para manter o caráter servil de quem visita nossa colônia-mor, os EUA.

    Comportamento e etiqueta
    O povo norte-americano

    Como no Brasil, a população dos Estados Unidos é uma combinação de raças:

    -- Nativos – Descendentes da população que habitava o país quando da chegada dos colonizadores europeus (ameríndios, esquimós, havaianos, entre outros).

    -- Brancos – Descendentes dos colonizadores (vindos das ilhas britânicas, da Espanha e da França) e de imigrantes europeus.

    -- Negros – Grande parte deles descende dos escravos africanos trazidos para construir o novo país.

    -- Orientais – São imigrantes e descendentes de imigrantes.

    Outro grupo bastante representativo nos EUA é o de hispânicos, isto é, imigrantes latino-americanos, que podem ser de qualquer raça ou grupo étnico. Têm influência cada vez maior no país.

    Um elemento forte na cultura do país é a preocupação em ser “politicamente correto”, isto é, em evitar expressões, linguagem ou comportamentos que possam soar ofensivos a uma minoria. Assim, piadas racistas ou relativas a um grupo étnico devem ser evitadas.
    Comportamento

    Os norte-americanos, de maneira geral, são informais e extrovertidos. Valorizam o trabalho e o sucesso pessoal. São competitivos, assumem riscos, tomam decisões com rapidez e, para encontrar soluções, discutem abertamente. Embora convivam com pessoas de todo o mundo em suas cidades, não conhecem muito sobre a cultura de outros países.
    Etiqueta

    As regras de etiqueta nos EUA apresentam poucas diferenças em relação às brasileiras. Veja a seguir como comportar-se em diferentes situações sociais. Você vai perceber que basta ter bom senso e um pouco de tato para não cometer gafes.
    Cumprimentos

    -- Em situações formais, norte-americanos costumam se cumprimentar com um aperto de mãos firme e rápido ou com um aceno de cabeça, acompanhado de uma saudação verbal.

    -- Em ambiente informal, beijos ‘sociais’ são aceitáveis entre mulheres e entre homens e mulheres, desde que os envolvidos conheçam-se bem.

    -- Se encontrar alguém conhecido na rua e estiver acompanhado, é educado apresentar seu acompanhante à outra pessoa.

    -- Quando encontrar um amigo acompanhado de um grupo de pessoas, cumprimente a todos. Saudar apenas o amigo é considerado grosseiro.
    Conversas

    -- Nos EUA, procure ficar a uma distância mínima de 33 cm (a distância aproximada de um braço esticado) quando conversar com outras pessoas.

    -- O contato visual – olhar nos olhos – durante as conversas é muito valorizado entre os norte-americanos.

    -- Como no Brasil, devem-se evitar temas controversos -- política, religião, etc. -- quando não se conhece bem o interlocutor. Também não convém criticar o “american way of life” – muitos norte-americanos podem se sentir ofendidos.

    -- Se você estiver num grupo que está conversando em inglês, não é educado falar em outra língua mais do que duas ou três frases.

    -- Se receber um elogio, simplesmente agradeça. Negá-lo para parecer modesto soa bem no Brasil, mas não nos EUA.
    Vestimentas

    -- Mantenha suas roupas sempre limpas e arrumadas, sejam elas formais ou informais. O mesmo vale para os sapatos.

    -- Em ambiente formal, a vestimenta comum para homens é terno e gravata e, para mulheres, tailleur com meia-calça e sapatos altos. Mas convém que você pesquise um pouco como as pessoas se vestem no local para onde vai.
    Pontualidade

    Norte-americanos valorizam muito a pontualidade. Não os faça esperar.
    Boas maneiras à mesa

    As recomendações de como se portar à mesa nos EUA não diferem das brasileiras:

    -- Procure sentar-se ereto e não apóie cotovelos e antebraços à mesa.

    -- Para alcançar um prato que está distante, peça educadamente para alguém mais próximo dele trazê-lo até você.

    -- Só comece a comer quando todos estiverem comendo ou, ainda, quando quem o convidou autorizar.
    Em restaurantes

    -- Nos EUA, fazer contato visual com o garçom, com um aceno da cabeça, normalmente é suficiente para chamar sua atenção.

    -- Em ambientes muito cheios, pode-se chamar o garçom educadamente com um “excuse me, waiter” ou erguer o dedo indicador com um aceno de cabeça.

    -- Se o serviço do garçom esteve a contento, deixe uma gorjeta de 15% do valor da conta.
    Fumo
    Fumantes, nos EUA, estão em minoria. Assim, antes de acender um cigarro, pergunte a quem estiver por perto se é permitido

    fumar naquele lugar ou, ainda, se as pessoas à sua volta não se importam – e prepare-se para a possibilidade de ouvir um “não”. Caso queira parar de fumar, aproveite – nos EUA, você terá todo o incentivo.
    Em festas

    -- Ao ser convidado para um evento na casa de alguém, é de bom tom perguntar ao anfitrião se ele deseja que você leve alguma coisa. Se ele disser que não, leve assim mesmo um vinho ou algum doce para a sobremesa.

    -- Se o evento for uma festa de comemoração de aniversário, aposentadoria ou formatura, mesmo que lhe digam que não é necessário dar presentes, leve uma lembrancinha acompanhada de um cartão.

    -- Se você não sabe qual a natureza da festa, convém perguntar que traje utilizar.

    -- Quando visitar uma casa pela primeira vez, leve um presente para o anfitrião – flores para a mesa ou uma garrafa de vinho são boas escolhas.

    -- Se você for convidado a uma festa de casamento, saiba que nos EUA eles também têm listas de casamento em lojas especializadas – lá, essas listas são chamadas de “bridal registry”.

    -- Procure não se atrasar em jantares. Em festas, a tolerância pode ser de uma a duas horas além do horário combinado.

    -- Não prolongue além da conta a sua estada – a não ser que o anfitrião peça.
    Títulos honoríficos e nomes

    -- Nos EUA é comum chamar as pessoas pelo primeiro nome. No entanto, até que o seu interlocutor o autorize a tratá-lo assim, chame-o pelo sobrenome precedido por um título honorífico (Mr. para homens e Mrs. para mulheres).
    Esperando (transporte ou por atendimento)

    -- Como no Brasil, esperar em fila e, de preferência, não furá-la, é o mais educado a fazer.

    -- Quando um transporte utiliza a mesma porta como entrada e saída, é educado esperar que as pessoas que queiram desembarcar o façam antes de entrar no veículo.
    Empregados

    -- Não é educado chamar um empregado com gestos grosseiros ou falando alto. Estalar os dedos ou assobiar é inaceitável.

    -- O correto é aproximar-se do empregado e dirigir-lhe a palavra educadamente. Ou, ainda, acenar como quem cumprimenta quando ele olhar para você.

    -- Seja cortês. Dizer “por favor”, “com licença” e “obrigado” só vai somar pontos para você.

  2. Mariana Martins
    24 de janeiro de 2013 at 15:24

    Mestre Navegador,

    Um belo título para o próximo best-seller de FHC, o príncipe das trevas: ” Desventuras de um cidadão classe média, nato em Higienópolis, em New York”. Compra tudo no cartão, anda de metrô, come hot-dog e volta contaminado com H1N1. Que riche

  3. 24 de janeiro de 2013 at 14:05

    Confrades,

    Sobre o populismo energético, o constrangimento que a usurpadora de calças vermelhas impôs ontem à nação, em horário nobre, na hora do jantar (janta para o populacho), desviando, com ironias, a atenção de um apagão iminente que teremos em 2014, 2016, 2018.

    Um senador de um estado governado por um dos nossos previu em 18/12 que a redução de energia poderia ser ainda maior. Além troçar nosso futuro presidente Tancredo II e nossa Proba Imprensa.

    “Na verdade, acho essa Medida Provisória da presidente Dilma moderada, o desconto poderia ser ainda maior. A oposição do PSDB e do DEM tem um fundo muito claro: eles querem privatizar o que restou público na área energética”.

    http://causameespecie.blogspot.com.br/2013/01/requiao-em-18122012-no-senado-ironiza.html

    Hoje tivemos esta péssima notícia, divulgada pelo portal vermelho.
    “PARANÁ RECUA E GARANTE CONTA DE LUZ MAIS BARATA”

    http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/91582/Paran%C3%A1-recua-e-garante-conta-de-luz-mais-barata.htm

  4. 24 de janeiro de 2013 at 13:51

    Boa tarde.

    -- “Nos EUA, procure ficar a uma distância mínima de 33 cm (a distância aproximada de um braço esticado) quando conversar com outras pessoas…”.

    Esta deve ser a distância de um braço esticado, sim.
    No caso, o braço de uma pessoa estaturalmente desfavorecida, vulgo anão.

    Saudações “Lula 2014. Lula Sempre“,

    Morvan, Usuário Linux #433640.

    • Pe. Iscariotes
      24 de janeiro de 2013 at 14:14

      Biométrico Morvan, naquela famosa foto do FHC com o Bill Pinton, nosso farol não respeitou tal distanciamento físico, o que nos faz pensar que o procriador virtual, se livrou de eventuais línguas bífidas abundantes hodiernamente, a partir dos depoimentos daquela ex-estagiária da Casa Branca, que perante o juíz e tentando “levar o que era dela”, detalhou anatomicamente o Pinton como sendo torto e para direito, como costuma ocorrer com os homens bons daqui e do north.

  5. Barão do Bom Retiro
    24 de janeiro de 2013 at 12:55

    Nada mais prudente do que criar um manual de boas maneira para essa gentalha diferenciada. Com certeza, não estão acostumados com nossa subserv -- digo práticas de relacionamento com nossos irmãos do north.
    Assim, evita-se que eles prejudiquem a imagem desse bananal lá fora.

  6. Percival Farquhar II
    24 de janeiro de 2013 at 12:53

    Realmente ultrajante.

    Não que eu seja dos radicais que consideram que os não tão bem nascidos devam ser eliminados. Alguns têm que ser preservados, até mesmo por questões biológicas e antropológicas. Mas que sejam mantidos lá, em sue nicho ecológico, na favela. Não quero ser obrigado a ver serviçais perambulando por áreas que só deveriam ser frequentadas por homens de Benz. Não entendam mal, não é preconceito, é só uma questão de higiene, não sei que espécie de moléstias esses usuários de transporte público podem transmitir, e se eu for contaminado com esse maldito vírus comunista que esta destruindo nossa grandiosa nação.
    Por isso devemos voltar ao Brazil para nos juntar aos milhões que protestam diariamente na paulista contra o barbudo bolchevique e seus postes, pois esse será o único meio de reconduzirmos ao poder uma pessoa do bens, como o grandioso EngenheiroEconomista ant-aborto.

  7. D. Sebastião
    24 de janeiro de 2013 at 9:40

    Mestre Hari.

    Após um autoexílio, voltei.
    Mas, posso lhe dizer, estou pasmo com os rumos que nosso papiro eletrônico tomou.
    Percebi, no meu retorno, que há aqui infiltrados pelo lulodilmismochavismoevismocastrismo e tantos outros “ismos” que puder achar.
    Por onde andam os homens de boa cepa? Onde está Sir Aurélio de Monte y Vaz, onde anda D. Jose de Pan y Água? Por onde andam aqueles confrades que tanto lutaram, nas eleições de 2010, em favor do nosso Empoçado Almirante do Tietê e Afluentes?
    Mestre Hari, Comendador Amadeu, temo que nosso sanctum celestial cibernético tenha sido tomado por vermelhóides, que nem tem noção do que é a verdadeira democracia, onde só homens de Benz votam.
    Mestre, responda-me, estou equivocado, ou este espaço virou mais um local onde os comentaristas dos “blogs sujos” (esse tal Morvan…sei não),a soldo de Caracas, vem para nos vigiar??
    Fui, caro Mestre Hari.

    • Pe. Iscariotes
      24 de janeiro de 2013 at 9:50

      Cognominado O Desejado por ser o herdeiro esperado da Dinastia de Avis, mais tarde nomeado O Encoberto (êpa) ou O Adormecido, nobilíssimo D. Sebastião. Folgo vê-lo, em vosso triunfal retorno.

      Acalmai vossos temores, preclaro retornante. O sítio continua o mesmo e o Magister, em sua bondade e malícia, decidiu que o comuno-ptismo ainda renitente nestas pragas, necessitava de algumas “iscas” para, utilizando-se do sorrateiro google, trazer algumas almas ainda com possibilidade de salvação para este santo espaço.

      Justifica, mormente nos desagrade, o post de Sir Pulguento e comentários do Sr. Morvan rpm -ivh lulismo, que nos servem em tal intento.

      • 24 de janeiro de 2013 at 13:44

        Boa tarde.

        Pe. Iscariotes, obrigado pela defesa dos que trabalham na surdina em prol do nosso Nosferatu da Mooca. Mas eu entendo a inquietude de D. Sebastião, afinal, “O preço da liberdade…”.

        Aproveito para emitir um comando muito importante, neste contexto:
        rpm -ev RegrasdeEtiquetadaCaixa

        Saudações “Lula 2014. Lula Sempre“,

        Morvan, Usuário Linux #433640.

        • D. Sebastião
          24 de janeiro de 2013 at 21:09

          O preço da liberdade é a eterna vigilância.
          Estou de olho nos vermelhóides que insistem em permanecer aqui.
          Caso não se convertam à filosofia hariovaldiana, vou desembainhar meu sabre, e engraxar meu bacamarte..

          • Vivi
            25 de janeiro de 2013 at 11:37

            Cuidado,

            Morvan é nordestino arretado e vem de parabelo e peixeira!

    • Vivi
      25 de janeiro de 2013 at 11:34

      Fervoroso Sebá (ou é o cara do instituto dos assentados?),

      Como o grande filho da pátria e historiador Villa declarou no maior jornal dos homens bons, o Noveunhendo é Dom Sebastião!

      Isto posto, desconfio que sois vós o infiltrado!

      Serapião nos acuda!

  8. Coronel Lalado
    24 de janeiro de 2013 at 9:20

    Caro Cachorro diferenciado,

    Isto é problema dos zEUA, quem manda eles darem visto!. Temos outros problemas, o fim, populista, do transporte público para grandes distâncias, conhecido como pau de arara, levou ao uso irregular do avião, o que trouxe enormes problemas. Nossos aeroportos, hoje em dia, são rodoviárias sem conforto ou glamour. O governo, como sempre, jogou o problema para as concessionárias dos aeroportos e estas não conseguem investir e ter lucro honesto de 150% a.a. com este povão invadindo tudo com dinheiro do bolsa esmola!!

    É bem verdade que as companhias aéreas têm ajudado aumentando o preço da passagem, mas as agências de viagem dividem em até 20 vezes, no cartão, e ainda mandam gente, diferenciada, para o exterior! As autoridades têm que tomar alguma providência, tem que proibir pobre e classe média de usar avião! Ou estas agências de viagem devem prover cursos básicos para permitir nossa sobrevivência, afinal já têm carro e nunca leram nada, nem um livro!!

    Caso contrário, além do apagão, do aumento do combustíveis anunciado diariamente, que vai levar a uma inflação galopante, da falta do crescimento econômico, resultado de uma gestão temerária e da intervenção desastrosa na economia, em especial nos juros e tarifas elétricas, além disto tudo, do caoseconòmico, vamos voltar a ter o temido, terrível e recorrente caosaéreo!! Imagina o vexame na copa!! E agora com o, já previsto e decretado, coeselétrico!!. E o dinheiro de nossos impostos vai todo para estes políticos do mensalão.

    Portanto, sr pequeno cachorro, o problema não é etiqueta, é tique tá, nós sofremos muito. Temos direito a uma aeronave mais acolhedora, assentos maiores, drinks, jantares e locais exclusivos para nosso descanso sem gente diferenciada roncando por perto.

  9. Dr. Aratinga Weddelii
    24 de janeiro de 2013 at 9:05

    Queridas Brazileiras e Queridos Brazileiros,
    Sophremos com a síndromme de abstinência de um legictimo apagão. Jah temos que nos preparar para que tal apagão seja pharto e abundante somente durante a Coppa.
    E por phalar em Coppa, e aproveitando o thema propposto, espero que esteja sendo feito um manual para recebermos os visictantes do North.
    O contteúdo desse mannual deve conter pello menos, a forma correcta de se prostrar e como abrir o tappete azul.

    • Cachorrinho Pulguento
      24 de janeiro de 2013 at 12:49

      Sei como recepcionar estes gringos de mer… Digo gringos merecedores de toda atenção; Vou servi-los uma Cuba Libre e estarei usando o uniforme do Che Gevara!

      “É preciso ser duro, mas sem perder a ternura, jamais…”

  10. emerson57
    24 de janeiro de 2013 at 8:49

    little dog,
    pelo andar da carruagem, essa moça não leu os manuais:
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=vab0_LlItD8

    • Coronel Lalado
      24 de janeiro de 2013 at 9:31

      Esta mulher não lê jornais?

    • Ximene, a Piedosa
      25 de janeiro de 2013 at 12:13

      Os últimos 2 minutos foram o quê ??? provocação ? De que “pessimistas” a búlgara estava falando ?? Cadê o Coronel Lalado, Ramiro da Cartucheira, às armas bandeirantes !! Cadê os meninos de 32 ?? Assim não dá, assim não é possível !!
      Meus sais, please ! E chamem a Míriam Porcão para rebater imediatamente…

  11. Evo
    24 de janeiro de 2013 at 5:13

    Prezado FF K9

    Minha criadagem da TI encontrou o link: http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:o5Ylqong6LsJ:www.caixa.gov.br/caixainternacional/estados_unidos/etiqueta.asp+http://www.caixa.gov.br/caixainternacional/estados_unidos/etiqueta.asp&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br e os imprimiram, ordenarei que cada dos meus criados tenha um exemplar, pois em breve farao uma viagem para nova iorque, um premio por 20 anos de servicos ininterruptos em minhas propriedades( sei que nao merecem, mas com essa moda agora de impedirem trabalho escravo…), pelo menos sei que nao terei vergonha alheia, pois os criados de posse deste manual nao errarao, mas a certeza maior eh que eles nao citarao meu nome, quando apresentarem por la o cartao mesada da caixa( ate isso eles criaram) no total de 19 unidades.

    E tenho dito

    • Cachorrinho Pulguento
      24 de janeiro de 2013 at 12:42

      Gostei do nome K9 – um pulguento bom para cachorro!!

    • 24 de janeiro de 2013 at 13:35

      Boa tarde.

      Obrigado pelo atalho para o cache do Google, caro Evo.

      Saudações “Lula 2014. Lula Sempre“,

      Morvan, Usuário Linux #433640.

    • Ximene, a Piedosa
      25 de janeiro de 2013 at 14:21

      Uai !! Mas não é pra ser educado aqui também, não ??!! Não entendi…. É pra ser educado só lá, nos Isteitis ??!!
      Por que realmente o povo de Nil Iorque é de uma eduqueichon ímpar… pra pegar táxi em dia de chuva, então…. Nossinhora.. eles podem dar aula pra esse bando de tupiniquim…….
      Também vou imprimir pra dar pros pobres que eu (infelizmente ) conheço, e que já estão com as malas prontas…

  12. Rei Nau de Az e Vedo
    24 de janeiro de 2013 at 1:10

    Em nossas invasões à Niuiorq, é recomendável saber que, se tem algo que os americanos detestam à mesa (e que, portanto, é altamente recomendado evitar (não exatamente nesta ordem), é:
    -- palitar os dentes;
    -- usar fio-dental;
    -- enfiar o dedo na boca;
    -- enfiar o dedo no nariz;
    -- limpar os dentes chupando o ar;
    -- limpar a garganta chupando o ar pelo nariz.
    (é bom saber também que, parece, na Colômbia também não apreciam estes pequenos gestos caseiros nos restaurantes).

    Blog também é cultura

    • SáeBenevides
      24 de janeiro de 2013 at 9:22

      E mais,

      -- cuspir na rua, exceto na Cháinatáu.
      -- entrar ou descer dos ônibus fora dos pontos.(Verdade que Homens de Benz não andam de ônibus.Mas,vai que…)
      -- furar a fila do ônibus
      -- jogar lixo nos parques e jardins.
      -- falar alto em locais públicos.

    • Rei Nau de Az e Vedo
      24 de janeiro de 2013 at 10:34

      Em termos musicais, também fazem parte do rol, pedir à orquestra para tocar pagode ou sertanojo-pós-universitário, pedir ao pianista do piano bar pra ‘dar uma palinha do Ai Se Eu Te Pego’, cantar hinos do curintia ou framengo em grupos e em altos brados, rua à fora e principalmente colocar umas caixas de $20.000,00 em um caco de $1.000,00 e sair batendo-estacas em alto som pelas avenidas centrais.
      Esqueci alguma coisa?
      Ah, sim. Comer fiambre de galinha enfarofada no Central Park, dá multa!

  13. D. Sebastião
    24 de janeiro de 2013 at 0:07

    Sir Pulguento.

    Não deveis ter vivido nos tempos aúreos da Pan Am, quando voar era coisa para nós, os eleitos por Ele para conduzir a choldra ao seu destino previsto.

    Por certo, não terei voado em um Convair 240, ou em um DC-3.

    Se esta minha velha olivetti permitisse, mostraria algumas fotos daqueles áureos tempos.

    Agora, com esses boeings que mais parecem navios negreiros, de tanta gente apinhada que vai na classe econômica, qualquer um vai a Nil Iork ou a Paris, sem saber falar uma palavra na nobre língua dos amigos do north, ou das terras de Luiz XIV.

    Ah, quanto ao manual, pura perda de tempo: o populacho até consegue ler uma linha, mas não consegue interpretar um texto.

    Que São Serapião nos proteja, pois os tempos estão difíceis para nós, nobres de sangue azul, descendentes da árvore genealógica de Adão.

    • Dr. Aratinga Weddelii
      24 de janeiro de 2013 at 10:32

      Nobilíssimo homenageaddo de Camões,
      Talvez lhe ocorra à lembrança a nactiva do Monte Paschoal, mas com muita linhagem, a sucsessora da Pan Am, de alcunha Pan Air do Brazil, que teve suas operaçõs abruptamente encerradas em 1965 pela democracia d’então.
      Até mesmo as aeromouças eram senhouritas avenctureiras da phina selecta phlor da nata dos bem nascidos.
      Os que tommavam assento em suas conphortaveis polthronas eram noctáveis damas e cavalheiros bem posicionados socialmente.
      Os actuais passageiros da classecê, sequer leram um livro. É o phim!

    • Sir Cunsctâncio
      24 de janeiro de 2013 at 16:56

      D. Sebastião,

      Por encontrar-me muito preocupado com um possível esquecimento de vossa senhoria, uma vez que és do tempo dos jactos DC3 e das máchinas Olivetti Lettera, quero lembrá-lo que já é tempo de fazer as reservas de passagens aéreas e hotéis para o forum, em Davos, na terra daqueles belíssimos alpes.
      Não podemos perder tempo agora, pois, senão as nossas suítes reais e presidenciais podem já estar ocupadas mais tarde.
      Eu seu que o senhor só conhece a classe econômica dos boeings porque vê propagandas em algumas gazetas ou semanários deste nosso Brazil, não é mesmo?
      É realmente de dar nojo, ver aquelha gentinha metida a besta, apertadas que nem sardinhas enlatadas, gritando: Tô ino pra Maiami!!!

  14. Bará o Bamba
    23 de janeiro de 2013 at 22:45

    Lula fica ‘chateado’ com invasão de seu instituto por sem-terra:

    http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/lula-fica-chateado-com-invas%C3%A3o-de-seu-instituto-por-sem-terra

    .

  15. Rose
    23 de janeiro de 2013 at 22:29

    Querido Dog e suas pulga

    Adorei o manual, um pouco incompleto evidentemente por não esclarecer se deve abanar o rabo ou não, mas claro que todo bem nascido sabe que se trata de um ato de gratidão por entrar em solo sagrado , faltou também o capitulo que se trata de tirar os sapatos no aeroporto.

    Mas também não sei se o referido manual teria alguma valia, pois a plebe esta indo para Nil iork, Maiame,e Zoropa sem nunca antes ter lido um livro.

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=uwh3_tE_VG4

    Saudações “Que ninguém, nunca mais, ouse duvidar da classe trabalhadora brasileira ” (D.A daquele que ousou enfrentar a Casa Grande)

  16. Shirley DONDOKA
    23 de janeiro de 2013 at 21:39

    Algumas regras para a massa fétida que frequenta esta web page.

    Existem algumas regras de expressão, como os pronomes de tratamento, que devem ser respeitadas e utilizadas.

    Outra é o respeito pelo horário, isso não só para cerimônias de casamentos, mas para todos os compromissos.

    Pour Memoire -- é um lembrete feito por telefone ou num cartão com data, horário e local da reunião, seguidos da sigla P.M.. É utilizado no caso de contatos casuais, para reiterar o convite.

    “Nada de brindes prolongados, abraços efusivos, galanteios superlativos, samba no pé e odes ao Brasil”, isso serve apenas para os serviçais nos divertir.

    Jantar básico, um dos exemplos clássicos está na maneira de servir as pessoas: a mão direita significa que se trata de um aliado, e a esquerda um inimigo.

    A ordem perfeita:
    -Hors d’oeuvre
    -Sopa
    -Peixe ou Ave
    -Carne com guarnição
    -Salada
    -Queijos
    -Sobremesa
    -Frutas

    Jamais repita os ingredientes, usando-o em mais de um prato.

    E para reunir as amigas para um Chá?
    É servido segundo a tradição britanica por volta das 17 horas.
    Utilizando três mesas bem ornamentadas:
    -uma para colocar os frios, patês, torradas, pães, sanduíches;
    -outra para os doces, bolinhos, biscoitos;
    -e a terceira para servir chá, sucos, chocolate quente e frio, água onde também estarão disponibilizados xícaras, pratinhos, copos e guardanapos.

    Lembre-se que os serviçais devem estar de banho tomado e uniforme completo. Caso eles falhem em algum detalhe a recomendação é de 10 a 20 chibatadas no tronco.

    • Cachorrinho Pulguento
      24 de janeiro de 2013 at 12:39

      Cari$$ima DONDOKA

      -- Então P.M. significa Pour Memoire? Juro por Deus que achava que era “Puta Merda, não vai se atrasar de novo!”

      -- Quanto “a mão direita significa que se trata de um aliado, e a esquerda um inimigo.” Até ai nenhuma novidade, Homens bons sempre consideraram os da esquerda como inimigos!

      Auauvissaras!

      • Shirley DONDOKA
        24 de janeiro de 2013 at 17:02

        AU au

        Não esqueça que quando for chamar os serviçais se não tiver o sininho podemos utilizar o tradicional bater de palmas (duas).

        E se caso algum deles for indiscreto com os convidados é imperativo que o meso seja algemado no tronco e o convidado lhe dará 10 chibatadas.

  17. Ramsés II
    23 de janeiro de 2013 at 21:06

    Eu adoro ir a Nil iork, levo minha esposa, uma boa fêmea submissa, Dorinha minha secretária de 20 aninhos, meus 18 filhos, minha sogra, cachorro e papagaio.
    Por apenas 1000 dólares cada passagem, mais um hotelzinho em Mãrrátã, pegamos limousines e vamos aos outlets, onde compramos camisetas a 10 paus cada, e outras roupitchas baratinhas, é muuiita vantagem, trazemos umas 37 sacolas cheias!
    Aproveitamos para trazer escondido uns eletrônicos que custam metade do preço daquí, certamente devido aos impostos escorchantes que somos obrigados a pagar para sustentar pobres (aarrrggghhh!)
    Mas vale a pena, lá falam ingrês!

    • SáeBenevides
      23 de janeiro de 2013 at 22:17

      Viajandético Phara,

      vai dizer que não foste na Chainatáu…Naquele china da esquina de Uók com Dontiuók..

  18. Pe. Iscariotes
    23 de janeiro de 2013 at 20:39

    Edição Vestibular para Fabrícios 2013.

    O CÃO E O OSSO -- Esopo

    “Um dia, um cão, carregando um osso na boca, ia atravessando uma ponte. Olhando para baixo, viu sua própria imagem refletida na água. Pensando ver outro cão, cobiçou-lhe logo o osso que este tinha na boca, e pôs-se a latir. Mal, porém, abriu a boca, seu próprio osso caiu na água e perdeu-se para sempre.”

    Moral da estória :
    A- Vou fundar um novo partido, mas o Zé Bolinha não entra (a Luluzinha pode).
    B- Vou fundar um novo partido, porque sou o Zé Bolinha.
    C- Não vou fundar um novo partido nem soprar bafômetros (odeio o Zé Bolinha).
    D- Todos os ossos acima são possíveis e não podem ser largados.

    Amém.

    • Cachorrinho Pulguento
      24 de janeiro de 2013 at 12:36

      Bença padre

      Padre, esta fabula me lembra outra, conhecida como “o engenheiro e o diploma”…. …ELLE queria dois e ficou sem nenhum!

  19. 23 de janeiro de 2013 at 20:29

    Boa noite.

    Caro Chien Remplis du Puces.

    Felicito a vossa cachorria., digo, senhoria, por mais um excelente artigo.

    Há pouca coisa mais edificante (aliás, lá em Itapipoca, minha terra natal, tem um primo meu que é Edi ficante. O nome dele, já disse, é Edi,e ele nunca assume relacionamentos sérios. Só “fica”. Por isso o apelido Edi ficante) do que demonstrar aos estadunidenses a nossa subserv., digo, a nossa bem-querença; aquele povo supereducado, gentil, amável. Um povo de paz. São os estadunidenses tão pacíficos que lá você pode entrar num cinema, num saguão de uma lanchonete e disparar e matar quantos você puder. Depois, se a polícia mais gentil do mundo não f***& você, o que é quase impossível, um advogado vai alegar que é problema “siscológico“, ou seja, caiu um cisco no seu olho e você viu a si mesmo, digo, viu Belzebu.
    Isto sem falar na facilidade de comprar armas. Lá não é como aqui. Esta burocracia. Não se pode nem matar em paz… Lá, você pede uma Glock e o vendedor diz, solicitamente:
    — “Não faça isso. Leve o AR15. Está em promoção”. Bacana, heim?
    Viva a democracia (e a pigocracia, claro).
    Saudações “Lula 2014. Lula Sempre“,

    Morvan, Usuário Linux #433640.

  20. 23 de janeiro de 2013 at 19:49

    Boa noite.

    Caro CYRANO.

    Essa não a miss? Miss Quesse?

    Saudações “Lula 2014. Lula Sempre“,

    Morvan, Usuário Linux #433640.

  21. CYRANO
    23 de janeiro de 2013 at 19:12

    DZIÉN DOBRY!
    A Caixa foi uma péssima idéia desde o início, pois serviria para os escravos guardar dinheiro na poupança, para depois comprar sua alforia, coisa de comunistas ateus, é óbvio. Essa página sobre o comportamento da negrada nos EUA foi um lapso de luminosidade naquela instituição, tentando levar um pouco de cultura as eleitores dos vermelhos esquerdistas. A garota propaganda da caixa, a Pitanga, foi devidamente clareada, ficou alvinha que nem seus pais, no site, outra idéia luminosa para não ofender os correntistas. Agora tem essa outra GAROTA DA CAIXA:

    • 23 de janeiro de 2013 at 20:09

      Boa noite.

      Caro CYRANO.

      Essa aí da foto não é a Miss? A Miss Quesse? A prima da Geniscleuda e amiga da Miss Éravel?

      Saudações “Lula 2014. Lula Sempre“,

      Morvan, Usuário Linux #433640.

      • SáeBenevides
        23 de janeiro de 2013 at 22:14

        Semprelulístico Bliasby,

        parece-me mais ser a Miss Xuruca, que fazia tremendo su (dá-lhe Ibrahim !) na praia de Ramos, antes do Piscinão.

        alvíssaras !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.